Siga-nos

Em alta

INFRAESTRUTURA, POLÍTICA

Dizer que a duplicação da BR-470 será concluída em 2022 é subestimar nossa inteligência 

Duplicação da BR-470
Foto: Pancho, arquivo

Poucas coisas são tão enervantes quanto as promessas do poder público que sabemos que não serão cumpridas. Pois aconteceu uma vez mais com a duplicação da BR-470. Na sexta-feira, prefeitos da Associação dos Municípios do Médio Vale do Itajaí (Ammvi) ouviram do diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit), general Antônio Leite dos Santos Filho, que está mantida a previsão de conclusão da obra para 2022. Isso mesmo, para ano que vem. Pois saibam que a possibilidade disso acontecer é praticamente nula. E não é tão difícil entender os motivos.

O próprio diretor-geral do Dnit disse aos prefeitos que o custo da obra é de R$ 1,3 bilhão e que até agora foram investidos R$ 700 milhões. Ou seja, segundo o general, praticamente metade do orçamento foi investido em oito anos e a outra metade, nos cálculos dele, seria investida em um ano e meio. O pior é que ninguém questiona ou exige um cronograma realista para termos alguma noção de quando teremos este trecho da rodovia totalmente duplicado.


É bom lembrar que o orçamento para a duplicação da rodovia neste ano é de apenas R$ 59 milhões. Mesmo se o governo do Estado repassar os R$ 200 milhões prometidos, ainda faltarão algo em torno de R$ 350 milhões para investir, sem falar nos aditivos. Tudo em 2022? Mesmo em ano eleitoral, arrisco dizer que não há a mínima chance de isso ocorrer.

Outro problema. Há centenas de desapropriações pendentes, especialmente no trecho entre Blumenau e Indaial. Muitos desses imóveis estão sem regularização ou pendentes de inventários. Outros são comerciantes com prédios atingidos ou locatários, produtores rurais; posseiros com direito a usucapião. Enfim, uma infinidade de questões burocráticas que, mesmo com boa vontade e dinheiro, levaria algum tempo para negociar.


wwhatsapp
ttelegram

Por fim, basta olhar para o andamento da obra para perceber o quanto essa previsão é pura fantasia. O lote 1 tem 60% das obras executadas. O lote 2, está com 80%. O pior está nos outros dois trechos. Apenas um terço da obra foi executada nos lotes 3 e 4, entre Gaspar e Indaial.
Dizer que a duplicação dos 73 quilômetros entre Navegantes e Indaial será concluída em 2022 é falta de respeito. É subestimar a nossa inteligência. Enquanto ouvirmos inertes e submissos a esse tipo de promessa, pouco evoluiremos como cidades e região.

1 Comment

  1. Sidney Uessler

    Sim, com políticos fracos que temos nos representando(se é que assim pode ser dito), vai ficar por isso mesmo. Fazem uma conferencia com o DNIT, saem com promessas, que sequer podem ser cumpridas, e se dão por satisfeitos. Ou seja, gastaram o tempo a toa. Concordo contigo que não existe cronograma. Nunca teve. Moro na margem da BR-470, no pior trecho que é entre Blumenau e Indaial. Uma região com circulação densa de pessoas, principalmente crianças indo e vindo da escola. E as filas intermináveis de carros sentido Indaial – Blumenau. Lamentável.

Deixe um comentário

Campos obrigatórios são marcados com * *